Um pequeno passo para uma Nova Space Opera
março 19, 2012
Brinquedos Mortais – capa e detalhes da coletânea revelados *
março 23, 2012

Quem conta as Fantasias Urbanas? – Round 2

Como combinado, é hora de falarmos mais sobre os contos da coletânea Fantasias Urbanas. Para você que chegou agora, já temos dois posts aqui no site. O primeiro explica a proposta de fazer o leitor viajar por cidades que representam estilos diversos de fantasia. O segundo fala sobre os contos de José Roberto Viera, Tiago Toy e Ana Cristina Rodrigues.

Na nossa rodada de hoje, os eleitos foram Rober Pinheiro, Douglas MCT e Rafael Lima. Então vamos ao nosso triunvirato:

O Rober Pinheiro é autor de um universo complexo conhecido como Thargor, que conta com raças diferentonas e até um idioma próprio. A alma boa de Viens tem tudo para agradar quem curte a combinação de reis, castelos e magia e tramas de redenção. Leia o depoimento do autor para o nosso espelho mágico:

“Ambientado em Thargor, A alma boa de Viens é uma fantasia na acepção mais tradicional da palavra, com direito a guerras, reis, cavaleiros e bruxas malvadas. E no meio de tudo isso, uma pergunta bem premente: até que ponto conseguimos superar uma perda e evitarmos a eterna busca por vingança contra aqueles responsáveis por ela? “

Já o Douglas MCT, conhecido pelos romances juvenis Necrópolis e O coletor de almas, resolveu dar um toque de western ao seu universo de dark fantasy. Bares de beira de estrada e pistoleiros se unem a criaturas fantásticas na combinação de tiros e magia deOnde termina o inferno. Veja o que ele nos explicou:

“Neste conto de fantasia western, uma garota contrata os serviços de um mercenário para ajudá-la a recuperar a maleta do pai roubada por um criminoso reptiliano. No meio dessa aventura, eles encontram leões negros, criaturas com problemas de identidade e um exército de 40 pistoleiros bem pagos. Esse é o primeiro spin off da série Necrópolis e uma homenagem também ao filme Bravura Indômita.”

Indo em uma direção bem diferente, Rafael Lima, que lança em breve a distopia Os reis do Rio, decidiu escrever algo no seu universo de tecnofantasia, produzindo um conto leve e bem-humorado. A cidade perdida dos Limps aposta em uma mistura de tecnologia e magia, unindo máquinas avançadas a personagens com poderes sobrenaturais. Nas palavras do Rafael:

“A Cidade Perdida dos Limps é um conto spin-off da saga Aura de Asíris. Depois que sua tropa é massacrada em uma missão, um soldado é preso por uma lendária tribo, que, supostamente, guarda o maior tesouro do mundo de Asíris. É basicamente uma história sobre ambição, com um toque de aventura e mistério.”

Fantasia clássica, weird western e tecnofantasia fecham o nosso post de hoje. Na sexta-feira, entra no ar o último trio de autores das nossas Fantasias Urbanas. Fiquem bem e se preparem para a viagem.

Sempre lembrando, o livro já está em pré-venda aqui no site.

0 Comments

  1. […] O segundo falou sobre os contos de José Roberto Viera, Tiago Toy e Ana Cristina Rodrigues. E o terceiro deu a palavra ao Rober Pinheiro, Douglas MCT e Rafael […]

  2. josé roberto disse:

    ow, esse livro tá BEEEM legal hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *