Super-Heróis: Um bate-papo com Vitor Vitali, autor de “Barlavento 1807”
novembro 7, 2013
Super-Heróis: Um bate-papo com Lucas Rocha, autor de “A Verdade Sobre Raio Vermelho”
novembro 8, 2013

Meu Amor é um Sobrevivente: construindo a capa

Olá, sobreviventes, o post de hoje traz as artistas que produziram as fotos para a capa do livro. Assim como nos outros volumes, sempre temos modelos e fotógrafas brasileiras que criaram imagens que brincam com o tema de cada Amor Proibido.

survivor-2

Dana Guedes é uma escritora publicada pela editora, já saiu na Contos do Dragão (Flor de Ameixeira e Homérica Pirataria), mas eu sempre conheci o seu trabalho como cosplayer e sua longa atuação nesse incrível hobby. A Annelise Lopes é fotógrafa e já trabalhou com a Dana em diversas ocasiões. Vamos conhecer um pouquinho do trabalho delas nessa minientrevista?

survivorComo foi o convite para a fotografia de Meu amor é um sobrevivente?

Dana: Ah, o convite foi superinesperado, mas muito legal! Eu e a Anne somos cosplayers há 12 anos e gostamos muito de fazer ensaios fotográficos com as nossas roupas num ambiente bacana.

Anne: É, depois que o Erick viu um ensaio que fizemos com a temática de guerra, achou o resultado bem legal e, como precisavam de uma capa com temática mais ou menos parecida, acabou nos convidando para fazer a foto.

Veja aqui o ensaio.

A produção ficou muito legal, a cultura Cosplayer pode contribuir com a ficção especulativa, não acha? Afinal, é uma forma de arte e representação muito rica.

Dana: Muito obrigada! Com certeza a cultura do cosplay pode contribuir, e muito, com a ficção. Não apenas para chamar atenção para os livros, filmes e afins, no momento da divulgação, mas também para homenagear as obras, com ensaios fotográficos que situem ainda mais pessoas dentro daquele universo específico.

Anne: Primeiro de tudo, obrigada! E sim, acho que pode contribuir muito não apenas na divulgação de trabalhos deste gênero, mas também na disseminação de ideias e cultura novas também.

O que vocês acham do imaginário fantástico brasileiro? Será que não poderíamos ter mais roupas criadas a partir de personagens de autores nacionais?

Dana: O imaginário fantástico brasileiro é incrível e, diferente do que muitas pessoas pensam, é tão rico em cultura, criatividade e diversidade quanto as obras internacionais que são tão consumidas aqui. Eu mesma tenho até os tecidos comprados para fazer cosplay da personagem principal do romance que estou escrevendo (cosplay junto com a Anne, inclusive, hahaha).

survivor-3Anne: Acho o nosso imaginário simplesmente maravilhoso e que ele, com toda certeza, deveria ser mais valorizado.  Tenho muitos amigos que são aspirantes a escritores e sempre me empolgo com as ideias diferentes que eles têm, acho que isso mostra como não é só lá fora que existem trabalhos de qualidade. E eu, como cosplayer e fotógrafa, acho sim que poderíamos ter muitas e muitas roupas criadas a partir de personagens de autores nacionais. Com certeza eu faria com o maior prazer!

Muito obrigado pelas incríveis fotos e participação.

Obrigada vocês pelo convite incrível.

Lindas as fotos, né? Além dessas imagens inspiradoras, cada conto de Meu amor é um sobrevivente traz uma visão diferente dos romances que surgem nas situações mais drásticas. Mergulhe nessa nova coletânea da Draco que já está em pré-venda para a versão impressa.

0 Comentários

  1. Karen Alvares disse:

    Adorei o post, muito bacana! É bem legal saber como uma capa foi produzida! Adorei saber que a Dana, também autora da casa, participou! E nada mais nerd e adequado que um cosplay! rs =)

  2. Carlos Dente disse:

    Um pouco de (muita) beleza no fim do mundo…

  3. Ana Lúcia Merege disse:

    Muito legal esse post! Parabéns às artistas e ao nosso editor pela iniciativa de mostrar esse lado da produção de um livro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *