Tradutor, traidor – Uma entrevista com Jorge Candeias, tradutor para português da Guerra dos Tronos
novembro 16, 2011
Antologia "Excalibur – histórias de reis, magos e távolas redondas" guidelines
dezembro 14, 2011

"Uma Festa Drac’Hora", conto por Cristiano Rosa

Olá.
Convido a todos para o evento que acontecerá nesta noite no Castelo das Águias, pontualmente às 23h. Antes, todos se encontrarão no bar Neon Azul, para combinar as homenagens à aniversariante.
MANDE este e-mail aos amigos e conto com a presença de todos.
Ass,
Bruna

Esse foi o e-mail em forma de Corrente que Bruna enviou a todos os convidados para o aniversário de Draco, uma jovem dragão que está completando seus dois anos de idade nesta última semana do mês de novembro.

Dar uma festa surpresa à Draco era o principal Desejo de Lilith, sua mãe, que a amava muito. As duas viviam sozinhas, pois o pai da pequena dragão, certa vez, foi ver o Eclipse ao Pôr do Sol e nunca mais voltou. Gabriel, seu tio vigarista, mas de bom coração, juntamente com o amigo Barão de Shoah, estavam ajudando Lilith com os preparativos. A mãe não se casara novamente, mas tinha muitos amores. Ora seu amor era um Vampiro, ora seu amor era um Anjo.

Draco era uma dragão inteligente e, junto de sua melhor amiga, Xochiquetzal, uma princesa asteca, e seus quatro amigos Imaginários, adorava brincar em Atlântida, e jogar um RPG chamado Tabuleiro dos Deuses.

Logo anoiteceu e todos já estavam no Neon Azul. Gabriel e o Barão tocavam aCanção do Silêncio, enquanto o Peregrino vinha com as crianças perdidas trazendo presentes para levar à aniversariante, comprados na Selva Brasil. Em um canto, uma roda se formou ao redor dos irmãos Punk, o Diesel e o Vapor, que narravam registros e relatos de uma bela época sobre as ordens que recebiam de suas majestades, enquanto ainda trabalhavam nos reinos vizinhos.

Outros ainda contavam histórias fantásticas de uma odisséia chamada Space Operaaos que gostavam de aventuras fantásticas além das fronteiras. E também estava lá um senhor metido a Sherlock Holmes, com o causo de uns tais Dedos que não Brochavam. Todos se confraternizavam e bebiam, mas deixavam a fome para ser saciada na festa de Draco.

Visto que a maioria dos convidados já se encontrava no bar, Bruna chamou a todos para irem ao lugar da festa, a poucos quilômetros dali, onde outrora ocorrera uma batalha chamada Guerra Justa, mas hoje apenas um lugar turístico da região.

Chegando ao Castelo das Águias, todos eram recepcionados pelas irmãs Annabel e Sarah, que davam um vidrinho de Mel a cada convidado que vinha à festa. AGuardiã da Memória havia levado Draco em sua casa para um passeio, a fim de que ela não desconfiasse da movimentação que estava acontecendo por lá.

Lilith e a mãe de Xochiquetzal haviam preparado um belo banquete aos convidados da festa, fazendo com que tudo desse certo para celebrar os dois anos da pequena dragão. Logo Draco chegou com a amiga, e deu pulos de felicidade, soltando pequenas fumacinhas alegres de seu nariz. Cumprimentou a todos muito simpática e andou pela festa de mãos dadas com as gêmeas que deixaram a recepção após todos terem chegado. Comeu, bebeu, brincou e recebeu vários presentes de todo mundo lá.

Pouco antes do discurso de Draco, um convidado chegou esbaforido. Era Tiago, vindo fugido de Terra Morta, região perto de Necrópolis, a Fronteira das Almas, que fora infestada recentemente por zumbis. O jovem foi direto abraçar Draco, e a presenteou com um livro sobre Super-Heróis. Ela adorou o presente, agradecendo-o com um beijo. Logo, chamaram-na para o palco e ela começou sua breve fala:

– Obrigada a todos que vieram ao meu aniversário! Estou muito feliz pela lembrança e homenagem de vocês. E Antes Tarde do que Sempre, quero desejar a todos uma ótima festa, e vamos dançar, Para Tudo se Acabar na Quarta-feira em grande alegria e estilo!

Todos bateram palmas e começaram a arrastar as mesas para dar espaço aos interessados em mexer o esqueleto. Ao final da festa, depois de todos terem ido embora, por volta das 03:33, a pequena dragão roxinha reuniu seu presentes e admirou os que mais gostou: belos livros de literatura fantástica. Seus próximos dias seriam bem encantadores e interessantes, pensou Draco.

 _____________________________________
Esse conto é uma belíssima e sensível homenagem do nosso parceiro Cristiano Rosa, do Blog Criando Testrálios (confira o post original nesse link), uma das pessoas que tem acompanhado e apoiado o nosso trabalho desde o começo, no final de 2009. Estou muito sensibilizado e contente de poder fazer um trabalho relevante e que traga demonstrações como essa.
Obrigado, Cristiano, #DracoSpirit a todos nós e nos vemos daqui dois anos.
Abraços a todos, obrigado por participar das comemorações de 2 anos da Draco.

0 Comments

  1. Janaina C. disse:

    Parabéns Draco!!!
    Cristiano, você arrasou!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *