Seus personagens têm personalidade?
janeiro 31, 2014
Em 2014 as séries de literatura fantástica da Draco continuam
fevereiro 5, 2014

#ContosdoDragão: Dana Guedes fala sobre seus contos e os livros que vêm por aí

 

danaHoje vamos conhecer um pouco do trabalho da Dana Guedes, autora de fantasia que manja muito de cultura pop japonesa, sendo cosplayer de destaque em eventos de anime e afins e ainda desenvolve roteiros para games, além de adorar História. O que dá tudo isso junto? Vamos ver agora!

1 – Fale um pouco da ideia dos seus contos, qual a sua fonte de inspiração?

Parece óbvio, mas minha inspiração é justamente escrever sobre assuntos que eu amo. Às vezes vejo alguma coisa, frase, fato do dia a dia, que minha mente logo transforma em algum plot para um conto, ou pedacinho de um universo novo.  Tenho vários rascunhos e ideias arquivadas, apenas esperando para serem usadas, e quando surge uma oportunidade eu logo puxo da gaveta para começar uma nova história.

O “Flor de Ameixeira”, por exemplo. Eu sempre quis escrever uma história de terror japonês. Quando surgiu a oportunidade de escrever um “Boys Love”, pensei “por que não?”. Peguei a ideia do arquivo mental e configurei para o conto. Fiquei felicíssima, adoro escrever desse jeito.

2 – Homérica Pirataria mostra que é uma ambientação com muita imaginação por trás. Faz parte de um universo autoral seu? Fale um pouco para a gente sobre ele!

Sim, o “Homérica Pirataria” se passa dentro de um universo steampunk que eu criei. Na verdade esse mundo é meu bebê, hahaha, parte de um projeto bem grande que eu tenho. Apesar de ser formada em Design, eu sou apaixonada por história. Estudo por conta mesmo, não tenho nada acadêmico na área, mas gosto muito. Acabei criando um universo em cima da história mundial de verdade, com personagens que existiram, como o rei da Inglaterra George IV, e grandes líderes como Napoleão e o czar Alexander I. A partir do passado que conhecemos, decidi preencher algumas lacunas e mudar algumas coisas a bel-prazer, é uma distopia afinal.

Os personagens do “Homérica” não são os protagonistas do universo, mas como ele é bem grande, dá pra criar uma infinidade de coisas. Dentro desse arco de piratas, ainda há muito a ser explorado. Eu inventei algumas ilhas em lugares específicos no mapa-múndi e cada uma delas tem uma história. Além da Ilha da Condessa Sangrenta, ainda existem, por exemplo,  a Ilha de Ragnar (dominada por descendentes vikings) e a Ilha Fantasma, cujo mistério é importantíssimo para a trama central da história.

Além de tudo isso, tomei a liberdade para inserir outro assunto que gosto muito, que é a mitologia. A própria história do Dama de Ferro envolve Mitologia Grega. Pretendo fazer uma série de romances a respeito desse universo e escrever um livro inteiro focado apenas nessa parte “pirateira” do meu mundo.

3 – Flor de Ameixeira é uma história de Boys Love / Yaoi bem lemon, né? Um clima de horror japonês que me levou àquelas memórias de Fatal Frame… O que os fãs de cultura japonesa e BL podem esperar dessa história?

Ah, podem esperar bastante coisa. Apesar de ser apenas um conto, eu juntei duas coisas que eu amo muito, que são o “Boys Love” e o terror japonês. Por já ter visitado o Japão duas vezes, uma delas ficando com uma família no interior, conheço bastante o tipo de lendas urbanas e fatalidades que se espalham pelas escolas. Além disso, sou apaixonada pela cultura japonesa e tentei expressá-la em cada parte do meu conto, com base nas rotinas escolares de verdade, alguns hábitos e modo de agir dos japoneses. Até o nome da cidade eu inventei pensando no contexto da história.  A cidade chama-se Kushiyama. “Ku” é uma das formas de se ler “9” e “Shi” uma das versões do número “4”. São os dois números de azar no Japão.

Para quem gosta de terror e suspense, eu dei meu melhor para passar o clima das histórias japonesas. As frases macabras, os cabelos longos e pretos e os cenários propícios. É lutando contra essa maldição, que nasce o grande amor entre os protagonistas.

Apesar de ter bastante lemon e um romance doce no meio, tem uma boa história e cenas para todos os tipos de emoção. Desde “Ai que horror!”, passando pelo “Awwww” e o “uhhh, que sexy”. Hahahaha.

4 – Você tem algum romance ou conto em andamento? Ficamos curiosos com o pouco que pudemos conhecer de Homérica Pirataria, vem mais coisa desse mundo por aí?

Sim, agora estou 100% focada no meu universo steampunk. Estou preparando um conto para introduzir os leitores aos personagens principais da minha trama, irá se chamar “V.E.R.N.E. e o Farol de Dover”, estou quase acabando e está previsto para sair em breve. Oba!

Depois que eu terminar, voltarei ao meu romance, o primeiro volume da série que mencionei. Esse livro está pronto há muitos anos, mas agora me sinto mais preparada para reescrevê-lo de um jeito mais satisfatório para os leitores. Eu estou muito ansiosa para ver os resultados e empolgada para escrever mais.

O livro se passa em Londres, no ano de 1825, após o auge da Revolução Industrial.  Não quero falar muito para não “dar spoilers”, mas eu espero muito que todos gostem!

Dana Guedes é meio escritora, meio designer, meio maluca e apaixonada por inteiro pelo universo fantástico em todas suas vertentes. Ama viajar, conhecer culturas e coletar inspiração. Geminiana de mil atividades, também roteiriza e gerencia games e sonha com o dia em que suas histórias tocarão mais corações. Facebook.com/dana.guedes.

0 Comments

  1. Melissa de Sá disse:

    Huuuuuuuuuuuum fiquei bastante curiosa. Adicionei na minha lista de próximas compras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *