Draco na Primavera Literária 2019
setembro 30, 2019
#DracoSpirit na Santos Comic Expo
outubro 2, 2019

Vikings: vem, que o rango está pronto!

A batalha foi vencida. Os feridos foram tratados – tá certo que muitos vão morrer, mas isso não vem ao caso agora – e os mortos sepultados. Eles foram levados pelas Valquírias e comemoram no Valhala, o grande salão de Odin e em Fólkvangr, sob o domínio de Freya.

O butim de armas, joias e dinheiro foi dividido entre todos. Há até mesmo um punhado de nobres cujo resgate, ao ser pago, vai engordar os baús de muitos senhores.

Agora é chegado o momento de comemorar e passar a noite bebendo e se empanturrando no salão do Jarl! Você lutou bem e merece tal comemoração. Você foi convidado e, de pronto, aceitou a honraria.

Peixe, porco, carneiro e diversas carnes de caça assam na grande fogueira: faisões, cervos e javalis. Há até mesmo carne de baleia! Sua boca saliva e suas narinas são agraciadas com o delicioso cheiro de churrasco – é, eu sei, os nórdicos não sabiam o que é churrasco, mas você entendeu 😉

Sobre a mesa, muitos pães fumegantes, ensopados de legumes e ervas, ovos, miúdos de porco condimentados, bolos de frutas, nozes e mel e, claro, cerveja e hidromel abundantes nos copos de chifre e canecas. Por isso, não se pode portar armas dentro do salão, a fim de evitar mortes nas inevitáveis brigas ébrias.

Pelos Deuses! Acho que vou dar um tempo nesse post para ir fazer uma boquinha! Meu estômago rugiu aqui.

.

.

.

Pronto!

Voltando ao banquete, há até alguns mimos para as crianças: doces de leite, avelãs caramelizadas e frutas secas com mel. Os pequenos comem aos montes, se empanturram, e no dia seguinte, a terra será adubada fartamente – sim, você sabe do que eu estou falando 😊

A música é alegre. Flautas, harpas, liras e tambores são acompanhados por palmas e por pés que batem no chão de terra recoberto por juncos. Alguns iniciam a cantoria, uma música conhecida por todos e que conta como o gigante Thymr roubou o martelo de Thor e, em seguida pediu a Deusa Freya em troca.

Você está mais preocupado em encher a pança! É a comida que te interessa. Afinal, mesmo sem ter passado fome, muitas daquelas iguarias você nunca havia provado.

Veja agora cinco curiosidades sobre a alimentação no tempo dos vikings:

1 – Pães não tão macios

Sabe aquele pão quentinho, saído do forno? Macio e fofinho? Deu água na boca! Pois é… O pão era a base da alimentação de grande parte da população. Contudo, não era exatamente como conhecemos agora. Ele era mais escuro (não usavam a farinha branca, comum em nosso tempo), feito de grãos de como os de aveia e centeio e mais “consistente”.

Também havia pães de trigo, cevada e afins, mas, como a farinha utilizada provinha do grão integral, não refinado, todos sempre eram mais firmes – e saudáveis! – do que aqueles encontrados nas padarias de agora!

2 – Vegetais na mesa. Dos pobres!

Iduna e as maçãs, por James Doyle Penrose, 1890

Por ser mais barato, os mais pobres, ao contrário dos abastados, se alimentavam bastante de legumes e hortaliças, pois sempre aproveitavam as pequenas porções de terra para plantar alimentos para a sua subsistência. Faziam muitos ensopados com ervilhas, feijões, cebolas e carne de caça (coelhos e aves, principalmente). Quem morava perto de rios, lagos ou do mar acrescentava o consumo de peixes, mariscos ou mesmo animais marinhos à dieta.

Curiosidade: mesmo que criassem porcos, carneiros ou bois (na verdade, esse animal era mais valioso para o trabalho), raramente consumiam a carne, sendo esta vendida para os mais ricos.

Além disso, o bom e velho mingau de cereais era muito consumido pelas classes mais pobres. Dava sustância e era de fácil digestão, principalmente para os doentes e idosos.

3 – Defumar é preciso!

By Ramon Piñeiro – originally posted to Flickr as Para pasar el Invierno …. “O Piornedo” ANCARES – LUGO, CC BY-SA 2.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=9598192

Hoje, quando queremos conservar um alimento, principalmente de origem animal, contamos com as nossas geladeiras e freezers. Mas os nórdicos não contavam com essa comodidade – cacete, Eduardo, eles eram cercados de gelo! É, eu sei, mas as coisas não eram tão simples assim. Eles até congelavam seus alimentos, mas isso não era tão comum.

Então, os nórdicos recorriam à defumação para aumentar a durabilidade de carnes de porco, aves e peixes. Esse é um método que utilizamos até hoje, tanto de forma artesanal quanto industrial.

Outra forma utilizada para a conservação de carnes era a imersão na gordura. Essa técnica cria uma barreira física que impede água e ar de entrar em contato com o alimento, o que diminui a oxidação e a contaminação.

Já os grãos eram secos ao Sol antes de serem armazenados, minimizando a proliferação de fungos e bactérias.

Veja só um artigo bem legal sobre o tema: Medieval food preservation.

4 – Doces? Prefiro evitar as cáries…

Na verdade, eles não pensavam nisso – eu acho! Os doces para o povo nórdico se resumiam a frutas – plantadas e silvestres –, mel e aqueles feitos com leite. Curiosidade: o consumo de leite não era comum entre os adultos, que o utilizavam para fazer manteiga e queijo.

As frutas eram comidas frescas, secas ou em forma de compotas. Em menor escala, eram feitos bolos de frutas e nozes, sempre adoçados com mel.

Eles desconheciam o açúcar de cana, e mesmo o consumo do açúcar de beterraba era incomum (mais comum no continente, na França, exemplo).

Enfim, os nórdicos não precisam se preocupar tanto com as cáries, mesmo porque muitos deles sequer tinham dentes, perdidos nas batalhas! 😊

5 – Vou encher a cara. Mas é para me alimentar!

Cena da HQ Vikings: Noite em Valhala

Eles bebiam bastante! Principalmente cerveja. Mas não era somente para ter a alegria e o torpor da embriaguez. Não! Eles bebiam como maneira de ingerir carboidratos (sem saber que raios era isso).  Mesmo as crianças davam os seus goles em uma cerveja mais aguada.

Além do propósito nutritivo, era uma forma mais “segura” de ingerir água, principalmente em lugares distantes de fontes limpas e nas imundas cidades da Europa (inclusive aquelas invadidas pelos vikings).

Além da cerveja (conhecida como ale), eles consumiam o famoso hidromel (de maior teor alcoólico) e fermentados de frutas em ocasiões especiais, como festas e cerimônias religiosas.

A bebida alcoólica fazia parte do dia a dia dos escandinavos. Fosse para ajudar a aguentar o frio, a complementar a nutrição ou mesmo para tomar aquele porre depois da batalha.Veja aqui dois posts interessantes sobre a alimentação desses povos: http://www.hurstwic.org/history/articles/daily_living/text/food_and_diet.htm e http://www.vikinganswerlady.com/food.shtml

Gostou?

Esse é o estilo narrativo do autor Eduardo Kasse. E você pode fazer parte dessa jornada ao apoiar a campanha Vikings: Morte ao troll no Catarse!

Vikings: Morte ao troll no Catarse

Chegou o momento de fazer acontecer! Você vai fazer parte dessa aventura épica. Vamos, juntos, matar o troll!

https://www.catarse.me/vikings

Por Eduardo Kasse

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *