Medieval – Contos de uma era fantástica no Kindle for Samsung
janeiro 4, 2017
Airton Marinho conta como escreve seus roteiros criativos
janeiro 12, 2017

Eudetenis conta como criou "Physics" para Dracomics Shonen #1

week6_03Apesar de parecer o nome artístico de apenas um autor, Eudetenis é uma dupla formada pelo roteirista Paulo Serafim e pela desenhista Giovana Serafim. Eles são casados e estão no mercado de quadrinhos e ilustrações há 6 anos.

Eles produziram a HQ “Physics” para o primeiro volume da “Dracomics Shonen”, que busca encontrar novos talentos do mangá. Aproveitamos a deixa para bater um papo com Eudetenis, conhecer melhor sua trajetória e como foi o processo de criação de sua aventura western misturando artes marciais, poderes especiais e física.

Confira:

1- Fale um pouco sobre a trajetória profissional de vocês no meio dos quadrinhos/mangás.

Paulo: Nossa trajetória já tem um bom tempo. Eu e a Gigi fazemos quadrinhos e ilustrações há mais de 6 anos profissionalmente para o mundo todo. Já fomos publicados em quadrinhos digitais nos EUA, Dinamarca e Japão. Participamos e fomos premiados no terceiro concurso do Silent Manga (3 brasileiros foram nessa época, entre nós o Ichirou e o Roberto F.), trabalhamos para a empresa Revolt dos Emirados Árabes com a serialização de “Beast of Burden”, temos duas séries pela Jambô junto com o Alexandre Soares (Lancaster) do material Brigada Ligeira Estelar (“Éden Zero” e “Esquadrão Trunfo”), disponíveis para leitura no Social Comics.

Além disso temos os nossos quadrinhos autorais que disponibilizamos de graça em nosso site e no Tapastic (“Chess Time”, “Aka no Kan” e “Maid Team”).

chess_time_special_event___the_black_troops_by_eudetenis-d7bf0tj

Chess Time

Também trabalhamos com ilustração, que fazemos exclusivamente nos fins de semana através do nosso livestream do Picarto.

2- Como foi a criação de Physics? Quais foram suas principais influências?

Paulo: As referências de Physics, como roteiro, vêm de toda uma geração oitentista dos quadrinhos japoneses e também de uma certa referência dos anos 90. Quadrinhos como “Hokuto no Ken” e “Eatman” nos inspiraram bastante no tipo de background, aquela coisa meio Mad Max mas nem tanto, saca? Quanto a estrutura de história eu, Paulo, gosto dos modelos dos anos 70 e da forma Tezuka de trabalhar as histórias, na qual desenvolvemos a história com um ritmo fácil de um leitor acompanhar. Na forma narrativa, seguimos as referências oitentistas, usadas em Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball, aquela coisa de cada quadro guiar para o próximo e de usar quadros grandes ou páginas inteiras para cenas de destaque.

3- Qual é o processo de produção para uma obra como essa? Quanto tempo leva?

oneshot-15Paulo: A concepção de “Physics” é algo que já data de mais de 2 anos, porém a produção é bem rápida. Tenho costume de pegar ideias e “ruminar” na minha mente por vários anos (sorte que tenho mais de 100 ideias na cachola). Na hora de escrever, eu simplesmente sento e escrevo cada uma delas seguindo o esquema básico de modelos narrativos para contar histórias. Obviamente, eu estudei técnicas de dramatização, clímax e antí-climax, gradação e todas as demais técnicas de roteiro existentes, mas deixo que as palavras venham para depois decidir onde colocar cada coisa, não sou o tipo que demora dias em um roteiro, ou termino em minutos/horas ou não o faço pois sou um quadrinista de mercado e para nós tempo é dinheiro.

Giovana: No meu caso, pego o storyboard já definido e daí passo a limpo pra folhas de tamanho A3, então digitalizo e envio o lápis limpo para os meus assistentes Jackson e Alexandre, que fazem a arte-final básica. Depois, aprofundo a arte-final e coloco as retículas, balões e quadros. Ao terminar, envio para o Paulo colocar os textos e damos uma revisada final. O processo todo costuma demorar 2 semanas para cada 10 páginas, culpa da minha falta de tempo com outros projetos, visto que faço mais 3 quadrinhos durante a semana.

4- Existe um tema secreto dentro da HQ? O que somente alguns leitores mais atentos sacaram sobre “Physics”?

Paulo: Existem vários segredos dentro da história, inclusive dentro do one-shot que publicamos. “Physics” tem uma questão social atrelada que, obviamente, não ficaria evidente dentro de um só capítulo. Mas na one-shot é possível vermos que existem famílias tradicionais e párias, fora a forma como a ciência está relacionada diretamente com a história. Mas acho que as perguntas-chave após ler o capítulo seriam: Afinal, quem é Nicolas? Ele mesmo disse que não tem memórias e que o dono do bar já o encontrou assim. Acredito que leitores mais atentos conseguiram sacar que Nicolas está sempre dançando, será que tem algum motivo em especial? E quem será a pessoa no segundo cartaz que a Chiharu estava buscando?

oneshot-16-175- Para fechar, indique uma obra inspiradora em quadrinhos!

Paulo: Vamos lá, japonês indico qualquer coisa do Yoshihiro Togashi, o cara é um monstro. Também gosto muito de Hokuto no Ken e Souten no Ken do mestre Tetsuo Hara. Considero Cavaleiros do Zodíaco a obra de melhor didática narrativa para um quadrinista, desenhe ele o que for. Em trabalhos brasileiros, gosto de ver o Ta no Sekai do João Eddie, gosto de Ra-tim-boo do nosso discípulo Heitor Amatsu (o garoto vai longe), adoro Ledd do nosso parça Lobo Borges e do Trevisan, com certeza adorei o Holy Avenger da linda da Érica Awano e do Marcelo Cassaro, e estou esperando os novos capítulos de Quack do Kaji Pato para poder completar a coleção.

sun-moon

Su Moon

Obviamente, também gostamos dos nossos próprios quadrinhos, pois somos narcisistas que só a porra, por isso leiam tudo que fizermos.

dracomic1-capa-72Clique nos botões abaixo para adquirir. Frete incluso para todo o Brasil

Paypal | PagSeguro

Ou adquira em nossos parceiros

Papel: Saraiva | Comix | Amazon | Cultura

E-book: Social Comics

E aí, o que acharam de conhecer um pouco sobre a produção de uma HQ? Essa foi a primeira entrevista, mas pode esperar que vamos abranger cada quadrinho publicado por nós. Acompanhem nosso blog e página no Facebook, pois em breve vamos anunciar as histórias escolhidas para o segundo volume de Dracomics Shonen. (Sem falar nas séries derivadas de alguns dos melhores mangás do primeiro livro).

Raphael Fernandes
Raphael Fernandes
é o editor de quadrinhos da Draco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *