Escrevendo O Grande Livro do Fogo, por Ana Lúcia Merege
julho 7, 2016
Escrevendo Sacrifício, por Eduardo Kasse
julho 15, 2016

Escrevendo A flor vermelha, por Karen Alvares

princesa-guerreiraQuando a Editora Draco anunciou a pré-venda de Medieval – Contos de uma era fantástica, antologia de contos organizada pelos super competentes e talentosos Ana Lúcia Merege (série Athelgard) e Eduardo Kasse (série Tempos de Sangue), fiquei muito feliz. Estou nesse livro com o conto “A flor vermelha”, que se passa na China medieval.

Essa obra é muito especial para mim. Quando recebi o convite da Ana e do Edu para escrever um conto e participar, bem, digamos que foi o momento que tive um estalo e pensei “uau, sou mesmo uma escritora”! Esse conto foi escrito antes mesmo da publicação de todos os meus romances, em uma época que eu ainda estava engatinhando como escritora; receber esse convite foi ao mesmo tempo uma honra e, claro, um desafio. Foi a primeira vez que fui convidada a participar de uma antologia, que me pediram para escrever uma obra profissionalmente e, para completar, eram dois grandes escritores que eu admirava demais que estavam fazendo isso.

O tema, a Era Medieval, não me era desconhecido, mas também nunca foi minha zona de conforto (e ainda não é). Como vocês podem perceber pelos meus romances, tenho um estilo mais urbano, atual, e apenas de vez em quando dou meus passinhos em outras épocas. Mas o Edu e a Ana devem ter visto algum talento nessas minhas incursões, talvez em “A Dama das Ameixas”, outro conto meu publicado pela Draco, na antologia Dragões, este sim uma das minhas viagens à Idade Média. Mesmo assim, aceitei o convite e escolhi, dentre os países oferecidos, a antiga China.

A partir daí, era a hora de escolher uma história. Foi preciso então realizar uma extensa e detalhada pesquisa histórica, na qual li muitas histórias sobre a China medieval, mas apenas uma delas me fisgou: a da destruidora Princesa Pingyang. Por que destruidora? Bem, ela é uma das personagens históricas femininas mais bad ass que já passaram por esse planetinha azul. Pronto, eu estava fisgada.

Só para resumir: Princess Zhao de Pingyang, filha do Imperador Gāozǔ de Táng, ajudou o pai a derrotar a dinastia anterior, a Dinastia Sui, e liderou um exército, o “Exército da Dama”, destroçando seus inimigos pelo caminho. Fez tudo isso com menos de 20 anos de idade. Infelizmente, morreu jovem, aos 23 anos, mas teve um funeral com glórias militares, a pedido do próprio Imperador. Uma mulher incrível, que tomou as rédeas de seu próprio destino. Tem mais sobre ela nesse link (em inglês).

Certo, depois de descobrir sobre onde, quando e quem eu iria escrever, veio o desafio: criar uma história à altura dessa personagem histórica incrivelmente fantástica. Foi a hora de mais pesquisa e leitura, tanto sobre a história de Pingyang, sua família, a sociedade da época, costumes, armas e tudo mais que consegui encontrar. Tudo isso, por fim, aliados à uma dose de ficção e fantasia, trouxeram à tona o conto “A flor vermelha”. Espero ter feito jus à grande Princesa Pingyang. E, claro, espero que curtam a história e todas as outras presentes nessa maravilhosa antologia.

Gostou desse conto? Ele é parte integrante da coletânea Medieval: Contos de uma Era Fantástica

Medieval-capa-72Em pré-venda com 20% de desconto e frete incluso para todo o Brasil. Envios previstos para 15/07. Utilize os botões abaixo, boleto e cartão (PagSeguro) e cartão de crédito (PayPal).

Paypal | PagSeguro

Quer conhecer mais trabalhos da autora na Draco? Clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *