As aventuras de Hieron de Zenária, por Carlos Orsi
março 14, 2016
Draco no Festival Guia dos Quadrinhos 2016
abril 4, 2016

O Baronato de Shoah – Galeria de Personagens

O primeiro parágrafo é sempre o mais difícil de ser escrito. Há momentos, como escritor, em que fico horas olhando para a tela branca do computador esperando as Musas aparecerem e me inspirarem para começar a minha história nova.

Claro que há alguns atalhos que ajudam o processo criativo, no meu caso fazer pesquisas de assuntos que me interessam, ouvir música muito barulhenta ou assistir vídeos no YouTube. Ler outros livros costuma ajudar também, mas eu evito a leitura de obras muito próximas às minhas para não me deixar influenciar. E, como eu leio muita fantasia, tem uma hora que acabo enjoando e procurando livros de outros gêneros ou, até mesmo, quadrinhos.

Existe, entretanto, uma via que eu costumo adotar que me ajuda bastante a desenvolver os romances: pensar mais nos personagens do que no cenário.

Pode parecer óbvio, mas eu cresci jogando RPG e vejo muitos autores novos que dão muito mais importância a seus cenários do que a seus personagens, como se os livros fossem apenas uma desculpa para descrever o mundo que eles criaram. É uma abordagem interessante se você tiver um mundo que seja muito diferente do que temos por aí, mas acaba indo para a repetição e a mesmice depois de um tempo. O que faz as obras são os personagens e seus conflitos pessoais (internos ou externos), além dos fatores que os tornam tão humanos quanto nós.

Como uma cria dos jogos de RPG, eu gosto de produzir fichas completas dos meus personagens quando penso neles. Às vezes vou além, realmente pegando fichas de RPG e criando seus atributos, qualidades e defeitos como se fosse jogar com eles. As fichas me servem como um guia, não um limitador para a criatividade, elas costumam me ajudar a traçar o histórico, personalidade e até possíveis conflitos que eu não tinha visto enquanto escrevia.

Os personagens da saga O Baronato de Shoah foram criados desta maneira, através de fichas básicas que me serviram de guia para construção de enredo. Do que eles gostavam? Do que têm medo? Quais seus objetivos na vida, além da história básica do livro? Como encaram uns aos outros e o mundo que os rodeia? Mais do que arquétipos, eles seriam trabalhados como indivíduos singulares com seus próprios sonhos, caminhos e nuances. Um elemento que eu acabei colocando a mais em cada ficha depois foi a origem dos nomes e das ideias destes personagens: detalhes mais específicos para os leitores, não para o mundo em si, que mostrassem boa parte da inspiração para cada um deles.

Curtiram? Fiquem, então, com as fichas dos três mais importantes personagens da saga O BARONATO DE SHOAH: Sehn Hadjakkis, Maya Hawthorn e Edgar Crow!

Sehn Hadjakkis

5-SEHN HADJAKKIS

Nome: Sehn Hadjakkis
Local de Nascimento: Desdalain
Data de Nascimento: 02/ Kislev/ 184 D.M (Depois do Messias)
Altura: 1.76 m
Peso: 67 kg
Olhos: vermelhos
Cabelos: negros, raspados
Tipo Sanguíneo: O negativo
Passatempo: ourivesaria
Comida Favorita: Bife de fígado
Esporte Favorito: alpinismo
O que mais valoriza: Maya
O que mais odeia: Traições e mentiras
Estilo de Luta: krav-ayaru ( estilo de luta baseado em dança ritualística)

Curiosidades

Na primeira versão do Baronato de Shoah Sehn era um Paladino procurando os fundadores da “Organização Hades”, uma empresa que estava transformando monstros místicos em criaturas mecânicas sob seu comando. Depois, ele foi o protagonista de um conto de fantasmas.

Mas ele só adquiriu sua forma definitiva quando foi recriado como o inocente namorado de Maya Hawthorn, que juraria a ela amor eterno antes de partir para a guerra.

Sehn também já foi um guerreiro e um ladrão de fadas, em rascunhos que se perderam atrás da escrivaninha.

O dragão de ouro com asas de prata que ele carrega no pescoço esteve presente em todas as versões.

Seu nome foi inspirado no personagem Bíblico “Sem”, filho de Noé, irmão de Cam e Jafé. Seu sobrenome vem do compositor grego “Manos Hadjidakis”.

O nome da mãe de Sehn, Thyzar, tem inspiração no nome da mãe do autor, Tereza. Tempos depois da publicação do livro ele descobriu que este nome realmente existe.

O nome “Aleantrus” veio de um antigo personagem de Advanced Dungeons & Dragons.

Histórico

Ensinado desde criança que os bnei shoah nasceram para proteger seu mundo, Sehn Hadjakkis almeja ser um poderoso soldado como seu pai e sua mãe, Aleantrus e Thyzar Hadjakkis, trilhando o caminho dos mashiyrra ou dos kohanim. Para isso, ele dá o melhor de si, empenhando-se nos testes que lhe são dados.

Mas cada dia no Cenóbio de Ahator mostra-se mais duro conforme o jovem não consegue despertar as habilidades que o tornarão um membro da Kabalah. Sehn não quer apenas a admiração dos pais, mas o respeito dos colegas e do Império.

Acima de tudo isto, está a promessa feita ao seu grande amor, Maya Hawthorn, de que quando voltar se casarão…

Promessa que pode não ser cumprida quando a vida de Sehn é ameaçada por uma traição.

Maya Hawthorn

3-Maya Hawthorn

Nome: Maya Hawthorn
Local de Nascimento: Desdalain
Data de Nascimento: 30/ shevat/ 185 D.M (Depois do Messias)
Altura: 1.70 m
Peso: 50 kg
Olhos: verdes
Cabelos: vermelhos e encaracolados
Tipo Sanguíneo: O positivo
Passatempo: desafiar a mãe
Comida Favorita: Honek, bolo de mel.
Esporte Favorito: tiro ao alvo
O que mais valoriza: família.
O que mais odeia:
Tradições
Estilo de Luta: Maya conhece armas de fogo e tem familiaridade com baionetas. Ela também tem muita facilidade em aprender artes marciais e manejo de armas.

Curiosidades

Maya surgiu em um conto chamado “Sacrifício”, onde ela e o irmão, Lukhas Hawthorn, iam servir de sacrifício para “fadas monstruosas” que viviam nas montanhas. Os dois acabavam sendo presos e levados até as montanhas, onde eram encontrados por um grupo de aventureiros.

Desisti do conto quando eles ganharam um “anel mágico” que eles deveriam destruir…

Maya também foi a protagonista de alguns rascunhos meus sobre caçadores de fadas e um gigante que não sonhava. O conto nunca passou da terceira página.

Seu nome tem origens curiosas: Maya é um diminutivo de “Mayara”, o nome da minha esposa, a quem o livro é dedicado.

Hawthorn vem do escritor americano Nathaniel Hawthorne, autor de, entre outros livros, “A Letra Escarlate”.

Histórico

A filha mais velha da família Hawthorn é uma jovem de temperamento forte e que aprecia a liberdade e o direito de escolha.

Desde pequena sempre se mostrou interessada em armas, montarias, carros e tecnologia, aprendendo com facilidade e se destacando entre as amigas.

Controlada pela mãe e incentivada pelo pai, Maya nunca entendeu por que não pode fazer o mesmo que os garotos e por que deve ser privada de coisas por ter nascido mulher.

Rebelde, inquieta, de coração duro e personalidade singular, guarda com carinho a única lembrança que tem de Sehn Hadjakkis, seu primeiro e único amor. Uma fada de prata com asas de ouro.

Edgar Crow

6-Edgar-Crow

Nome: Edgar Crow (Lachlan)
Local de Nascimento: Farhan
Data de Nascimento: 12/ Lyar/ 183 D.M (Depois do Messias)
Altura: 1.77 m
Peso: 60 kg
Olhos: pretos
Cabelos: negros como nanquim
Tipo Sanguíneo: AB positivo
Passatempo: meditação
Comida Favorita: Falafél, sanduíche típico, servido com pão sírio, molho tahine e folhas de alface.
Esporte Favorito: voar
O que mais valoriza: Tesla.
O que mais odeia:
inação
Estilo de Luta: Haganá, estilo de luta baseado em defesa e antecipação dos golpes adversários.

Curiosidades

Edgar foi o primeiro personagem “oficial” do Baronato, criado exclusivamente para o livro, e não vindo de rascunhos. Na verdade, seu “nascimento” ocorreu em um capítulo à parte e que tomou rumos inesperados… o próprio romance.

Seu nome vem do escritor americano Edgar Allan Poe e seu principal poema, “O corvo”. Não à toa, Edgar possui asas negras.                         

Histórico

Conhecido também como Edgar Lachlan, o Arur de asas negras torna-se o melhor amigo de Sehn Hadjakkis, dividindo com ele as responsabilidades militares e das dificuldades de nascer em um povo que escolheu a guerra como meio de vida.

Edgar é taciturno, reservado e inteligente. Demonstra habilidades acima do comum e uma paixão incondicional por Tesla Wadencliff, a criança que dividiu com ele seus sonhos em uma Casa de Recuperação Mental.

Seu passado é envolto em mistério: o pai morreu, a mãe enlouqueceu, mas ambos sabiam que seu filho iria fazer algo grandioso no mundo.

Só não sabiam o quão grandioso ele seria.

Veja aqui a segunda parte desse post.

Gostou? Você pode comprar os livros nos links abaixo:

baronato-de-shoahCompre em nosso site:

Paypal | PagSeguro

Ou em nossos parceiros:

Papel: Travessa | Cultura | Comix | FNAC | Saraiva | Geek

E-book: Amazon | Apple | Cultura | Kobo | Saraiva | Google

Compre em nosso site:

Paypal | PagSeguro

Ou em nossos parceiros:

Papel: Saraiva | Cultura | Travessa | Amazon

E-book: Amazon | Saraiva | Cultura | Kobo | Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *