“O Rei Amarelo” – Quadrinhos – Guia para submissão de trabalhos
maio 29, 2014
“Boy’s Love” – Quadrinhos – Guia para submissão de trabalhos
junho 4, 2014

Se lhe dá satisfação, siga em frente!

pena-satisfacao

Uma vez, ao ler uma reportagem, vi que o jornalista dizia que bandas como Iron Maiden, Rolling Stones e AC/DC eram apenas “repetições” deles mesmos, que muitas músicas soavam parecidas demais, sem criatividade.

Em primeiro lugar como um produtor de conteúdo, respeitei totalmente o direito do profissional dizer o que pensava, afinal, essa é uma das poucas liberdades que ainda temos.

Como ouvinte de rock e fã das bandas eu discordei do seu ponto de vista – novamente acho vital termos essas liberdades asseguradas.

Algumas músicas podem ser parecidas, contudo, não destoam da identidade dos artistas e são executadas com competência. São tocadas com satisfação e tesão, o que é tão importante quanto.

Mas por que esse tema está sendo apresentado no blog de uma editora?

Porque na literatura acontece o mesmo. Nós escritores também produzimos “peças criativas” e, em alguns casos, muitas delas abordam o mesmo tema.

Vou usar o meu exemplo: gosto muito do medieval e das guerras, então os meus livros e contos são sobre esses temas. Agora, há uma diferença: o tema é recorrente, a abordagem é nova.

Assim como as bandas citadas acima – lógico que guardadas as devidas proporções –, eu também estou construindo a minha identidade e escrevendo sobre o que realmente me faz sorrir.

Vejo muitos escritores se aventurando sem qualquer tesão e motivação por temas diversos apenas para “ampliar” o leque de assuntos abordados. Não acho que é isso que torna as carreiras mais ou menos completas. Aliás, quero a sua opinião sobre essa postura!!!

Se ama terror, cause taquicardias!

Se ama drama, dê lucro para as fábricas de lencinhos de papel!

Se ama guerras, faça os ossos estalarem e o sangue esguichar!

Se ama fantasia, crie mundos e deixe as mentes viajarem nas suas histórias!

Encontre as suas verdades e, antes de tudo, alegre-se você com o seu projeto.

Enfim, sempre que inicio um trabalho, seja junto a um cliente ou na literatura, quero oferecer o melhor de mim. E, para isso, preciso estar feliz com a tarefa.

Pois acredito que quem atua de forma apática e sem pensar em excelência não tem mais espaço no nosso exigente mercado contemporâneo.

E você, o que me diz?

Até mais!

3 Comments

  1. Bruno disse:

    George Romero fez vários filmes bastante diferentes utilizando o mesmo tema: zumbis. Então, creio que esse texto é bastante válido!

  2. Eliane De Lacerda disse:

    Escrevo sobre o que sinto fluir nas minhas veias, não sou escritora consagrada, continuo meu caminho sempre buscando dar o melhor de mim na escrita, não me interessa acompanhar “modismos”, sou o que sou, mas claro que busco aprimoramento todos os dias.
    Faça você o que sente arrepiar a pele, esse é o caminho da escrita perfeita!

  3. Ana Lúcia Merege disse:

    Eu concordo, tenho praticado isso, tanto que Athelgard ainda vai render muitas histórias. Mas também gosto de me aventurar por outros caminhos e neles deixar a minha marca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *