“Sherlock Holmes – O jogo continua” – Coletânea – Guia para submissão de contos
maio 5, 2014
Draco na Libre
maio 12, 2014

Carreira de escritor: identidade, direcionamento e foco

maquina-de-escrever

Atualmente o nosso mercado exige que os profissionais desenvolvam competências multidisciplinares e aprimorem habilidades além das suas áreas de atuação.

Não importa qual é a carreira, conceitos de marketing, produção de conteúdos e comunicação são importantes para manter uma boa percepção da marca (marketing pessoal) e a competitividade.

E quando falamos da carreira literária essa necessidade aumenta ainda mais. A partir do momento em que lançamos um livro, um conto, ou qualquer outra produção em literatura, tornamos o nosso trabalho público, passível de interações, de críticas e elogios.

E em tempos de redes sociais e de informações instantâneas, isso se potencializa bastante.

Seja para colher os louros, para aprender com os erros ou fazer ajustes no caminho, precisamos ficar atentos e reativos ao que acontece, ao que falam sobre o nosso trabalho. E isso no mundo dos negócios se chama gestão da informação.

Por ser uma carreira “solitária” há um risco de ficarmos alienados e perdermos o feeling de como lidar com o mundo e com as interações externas, por isso, parar e olhar ao redor é tão importante.

Quem é você?

Um ponto que sempre ressalto e acho essencial é: todos os profissionais precisam construir a sua identidade. Seja um arquiteto, um músico ou escritor, ter um perfil estabelecido é bom para criar vínculos com público.

Lógico que como seres vivos, evoluímos, mudamos de opinião e até mesmo de estilo e convicções profissionais, contudo, nenhuma mudança é abrupta (a maioria delas não é), portanto há tempo e condições de transmiti-las e apresentá-las de maneira concisa, natural, coerente e com qualidade.

Voltando à literatura, vejo muitos escritores que desejam ser outros – e não falo de inspiração ou admiração –, mas sim de um espelhamento.

Outros sempre escrevem segundo os modismos, não por convicção, paixão e tesão.

Em ambas as situações há uma perda de valor e uma subestimação da capacidade criativa. É como construir uma casa sobre alicerces frágeis demais.

Qual é o seu trabalho?

Assim, ainda dentro dessa análise, a construção de uma marca forte e conhecida é importante para vencer os degraus até o topo da prosperidade profissional. E no caso da literatura isso não quer dizer somente vender mais livros, mas sim conquistar respeito, cumplicidade e vincular o trabalho aos mais altos padrões de qualidade.

Para que isso aconteça, é preciso atender a todos os requisitos técnicos e, acima de tudo, produzir com alma. É como um pintor que durante muito tempo trabalha cada detalhe de um quadro, ou um ferreiro que se preocupa em fazer a lâmina mais resistente e afiada.

Sem alma e paixão o nosso trabalho se torna metódico. E sem identidade ele se torna vazio.

Foco

Por fim, um ponto essencial é ter foco. Precisamos saber onde queremos chegar para planejar, criar estratégias e ações a fim de realizar essa tarefa.

Por isso, a tal multidisciplinaridade que falei no início desse artigo é tão importante: para pensarmos fora da nossa zona de conforto e buscarmos as melhores soluções para vencer cada desafio, seja por nós mesmos, com a ajuda de amigos e parceiros ou com a contratação de especialistas.

Não importa o como. Independente de quem irá executar essa ou aquela tarefa, sempre precisaremos orientar e direcionar, afinal, quem conhece melhor a nossa carreira, as nossas virtudes e falhas do que nós mesmos?

Vamos juntos nessa?

Até mais!

0 Comments

  1. Vera Lúcia Machado Beijatto disse:

    Muito interessante e proveitoso,esclarece bastante as dúvidas.
    Gostaria de obter mais informações….

    Grata

    Vera

  2. Ana Lúcia Merege disse:

    Concordo plenamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *