Dragões: Escrevendo “Coronel Mostarda”, Flávio Medeiros Jr.
outubro 11, 2013
Dragões: Escrevendo “O buraco dos malditos”, Pablo Amaral Rebello
outubro 15, 2013

Dragões: Escrevendo “Operação rastro rubro”, Ana Carolina Pereira

Eu não me lembrava da Escócia ser tão chuvosa assim.

 

Não são nem cinco da tarde e o céu está tão negro que eu não estranharia se uma fenda dimensional se abrisse e os cinco cavaleiros do Apocalipse descessem, espalhando peste, guerra, fome, morte e…

 

… qual era o quinto mesmo?

 

Ah, dane-se. Nunca fui muito bom em literatura católica.

 

O fato é que nesse tempo não dá nem pra acender um cigarro decentemente. Além disso, não me importo de carregar minha mala, mas o cheiro de couro molhado já está me deixando irritado. Venta demais e o guarda-chuva mal serve para proteger a cabeça, quanto mais os pertences.

 

É tudo culpa dos taxistas. Não é óbvio? Se eles não fossem tão… taxistas, eu não precisaria odiá-los e fazer de tudo para evitar encontrá-los, inclusive ir a pé da rodoviária ao hotel. Taxistas ou chuva forte… não sei qual odeio mais.

dragoes-vinhetas_0009_ana-carol

Quando a Draco abriu a coletânea Dragões para submissões, vi que era uma ótima oportunidade de publicação e com um tema muito divertido! Dragões, como não amá-los?

No edital havia várias sugestões de abordagens para o tema, e uma delas dizia que “dragões sequestrando princesas” era um mote clichê e por isso, recomendavam cautela ao criar algo nesse sentido. Ao ler isso, os primeiros flashes da história surgiram em minha mente. Por isso, posso dizer a própria Draco inspirou o conto e, felizmente, funcionou ter investido nessa primeira ideia!

A ambientação veio de histórias onde criaturas místicas vivem disfarçadas na sociedade humana moderna, como a HQ Fábulas, de Bill Willinghan, e o seriado Grimm. O formato da história também foi pensado como um episódio de série policial, onde um detetive experiente e um novato se unem para investigar um incidente – no caso, o desaparecimento em série de herdeiras milionárias.

Dei bastante atenção para o local da aventura, a Escócia. Uma coisa que sempre me intriga em seriados e filmes é como as pessoas atravessam rápido de um país para outro! Por isso, no exercício de tomar cuidado com a geografia, a jornada em si se tornou o fio condutor da história. E sendo um local antigo repleto de folclore místico, não foi desperdício dar atenção especial aos lugares reais por onde os personagens passam. Aprendi muita coisa interessante sobre a Escócia.

Aos que lerem, espero que tenham uma experiência tão agradável quanto a que tive durante a criação! Obrigada a todos!

Você pode baixar o conto em formato e-book na sua loja preferida, acesse a hotpage: http://editoradraco.com/2012/12/22/dragoes-operacao-rastro-rubro-ana-carolina-pereira/

operacao_rastro_rubro

Quer ler esse e outros contos da coletânea Dragões? Acesse: editoradraco.com/2012/11/29/dragoes/ e garanta o seu exemplar!

Os comentários estão encerrados.