Dragões: Escrevendo “O Negro”, Albarus Andreos
outubro 28, 2013
Super-Heróis: Um bate-papo com João Rogaciano, autor de “O dia de todas as provas”
outubro 28, 2013

Dragões: Escrevendo “Hc svnt dracones”, Nilton Braga

Abrindo o coração ao companheiro de viagem, Fra Mauro contou que via seu trabalho como uma grande cruz a ser carregada. A rotina de prazos apertados, noites mal dormidas e dias de trabalho intenso e repetitivo pareciam deixá-lo inerte a tudo mais ao redor. Apesar do cansaço físico que esse ritmo lhe causava, não eram as reclamações do corpo que o incomodavam, mas as do espírito.

 

Sua arte reduzira-se àquilo: entregar seu trabalho em prazos determinados, frequentemente impossíveis de honrar. Por diversas vezes imaginara-se batendo à porta do Abade, pedindo desligamento da sua função. Que fosse passada a outro, que a executaria melhor e com mais paixão.

 

Mas faltava-lhe coragem para mudar. Quando via seu reflexo, Fra Mauro, monge residente do mosteiro de San Michele di Murano na laguna de Veneza, via o que era: um simples copista das obras dos outros.

 

Sempre verdadeiras a quem quer que fossem dirigidas, suas palavras não foram esquecidas pelo atento ouvinte ao seu lado. Apesar da estoica fé em Deus, Fra Mauro estava sem nenhuma em si mesmo.

dragoes-vinhetas_0020_nilton

É bastante óbvio, mas quando decidi que concorreria para a coletânea Dragões, a primeira coisa que fiz foi pesquisar sobre esses bichos. Eu queria entender um pouco mais dessa espécie, apesar de ter crescido cercado por eles. Eu não sabia sobre o que escreveria, nem como seria o conto, mas tinha certeza de que fugiria da representação tradicional do dragão. Não o queria entocado numa caverna, tampouco destruindo vilarejos.

Ele veio a mim na capa de um álbum do Black Sabbath, o Mob Rules, e a partir daí escrevi a primeira cena. Com ela também veio o tom religioso da história. A pesquisa, por sua vez, me levou a expressão em latim que deu nome ao conto, e como numa trilha já mapeada, mas ainda desconhecida para mim, me deparei com o diário de Fra Mauro. Aí eu soube quem seria o personagem principal.

E foi lendo sobre esse desconhecido homem do século XV que decidi o papel do dragão no enredo.

De tudo que escrevi, Hc Svnt Dracones é a história que mais se parece comigo, com a minha vida. Não, não tenho o mesmo ofício que Fra Mauro, apesar de nossas profissões estarem de alguma forma relacionadas; e também não sou monge. Contudo, por mais que tenha negado isso para mim mesmo por muito tempo, a verdade é que há muito dele em mim, talvez mais do que eu possa (ou queira) admitir.

E o que nós compartilhamos, além de alguns medos, é a jornada. Nós dois buscamos a mesma coisa.

Mauro, em verdade, não era lá tão diferente de muitos de nós, e seus profundos questionamentos ainda hoje são válidos. Arrisco a dizer que todos já passaram, ou ainda passam, pelo grande dilema que o aflige na história, e creio que ele mesmo, o personagem real, também se sentia igualmente aflito como a sua contraparte fictícia.

Quem nunca esteve indeciso?

Quem nunca se viu perdido, sem um mapa, tendo que escolher entre dois caminhos de destinos incertos e desconhecidos? E quando esses caminhos não são claros? E se não houver pegadas a serem seguidas… e você tiver que construir suas próprias pontes?

Esta história é dedicada a todos que já se questionaram, que já tiveram dúvidas sobre quem realmente eram.

Eu continuo à procura, na minha busca, e lhe desejo o mesmo que quero para mim: que abandone a estéril segurança da rotina, que encontre seu lugar, suas verdades, aquilo que lhe faz feliz, seu papel no mundo.

E quanto a Fra Mauro? Bem, ele passou a ver a vida com seus próprios olhos, e encontrou seu propósito colocando o mundo no papel…

Você pode baixar o conto em formato e-book na sua loja preferida, acesse a hotpage: http://editoradraco.com/2013/01/04/dragoes-hc-svnt-dracones-nilton-braga/.

Quer ler esse e outros contos da coletânea Dragões? Acesse: editoradraco.com/2012/11/29/dragoes/ e garanta o seu exemplar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *