A história real de um Brasil imaginário
setembro 1, 2013
Ana Lúcia Merege fala sobre a coletânea Excalibur – histórias de reis, magos e távolas redondas
setembro 4, 2013

"Futebol: histórias fantásticas de glória, paixão e vitórias" – Coletânea – Guia para submissão de contos

striker

Striker (1993, Rage Software)

A segunda Copa do Mundo realizada no Brasil está chegando. Já tivemos uma pequena prévia do que o evento será com a Copa das Confederações: um misto de euforia, tensão, descontentamento, fé, descrença, glória e desolação.

O futebol é fantástico por si só e mesmo assim, como faz a ficção científica, ele funciona dentro de uma própria lógica que não cabe ao ser humano normal compreender, apenas observar. E, imitando o terror, o futebol é capaz de dilacerar peitos, destruir espíritos e afundar as pessoas ao seu redor na própria miséria. Mas não é só aí que o esporte bretão para, porque ele ainda consegue ser literário de todas as formas, carregado de drama, ação, superação, suspense, surpresas; tantos outros gêneros e emoções que só uma crônica de Nelson Rodrigues conseguiria descrever – ficando mesmo assim, incompleta.

É desejando promover uma ode ao futebol no ano da Copa do Mundo que abrimos as inscrições para escritores interessados em participar da coletânea Futebol: histórias fantásticas de glória, paixão e vitórias. A ideia veio do editor Erick Cardoso, que me convidou para organizar, selecionar e editar os autores para a antologia que será lançada no primeiro semestre de 2014, pronta para a copa do mundo.

O objetivo é contar histórias que tenham o futebol como tema principal. Não importa se são Copas disputadas entre planetas, espíritos fadados a jogar eternamente, craques que venderam a alma ao demônio em troca do talento, jogadores do futuro com implantes biônicos, regras para alienígenas não-humanoides, vampiros e lobisomens resolvendo suas diferenças no gramado ou mesmo soldados anões em uma pelada para esquecer da guerra. Queremos histórias quase tão variadas e interessantes quanto o próprio esporte consegue ser. Então se permitam criar, todos os gêneros serão aceitos.

O livro terá um total de 10 contos, com um conto meu ao lado das obras de outros nove autores, esse número pode aumentar ou diminuir dependendo da qualidade do material que recebermos – até segunda ordem, não teremos autores convidados. Os contos submetidos devem ter um mínimo de 15 mil e um máximo de 30 mil toques (ambos contando os espaços), mas de forma nenhuma nos pautaremos por esses limites, mantendo o bom senso, textos de qualidade serão escolhidos mesmo que não sigam a risca essa regra.

Aceitaremos trabalhos de autores de qualquer gênero ou nacionalidade, desde que em bom português (contos revisados e bem preparados sempre terão preferência) e que não tenham sido publicados em meio impresso.

E atenção: o recebimento das obras se encerra em 15 de outubro de 2013 e o anúncio dos selecionados será feito em 26 de novembro de 2013.

Para ter certeza de que seu material será recebido e avaliado, envie-o até o prazo estabelecido acima para o e-mail editoradraco arroba gmail.com com o assunto no formato [FUTEBOL – NOME DO AUTOR].

O formato dos textos deve seguir o seguinte padrão: os contos salvos em arquivo de texto .RTF ou .DOC com título e nome do autor, além dos itálicos e negritos necessários já aplicados.

Então saia do aquecimento e comece a nos contar histórias sobre o esporte favorito do país em universos diferentes, com situações incomuns, onde deuses precisem interferir ou onde os humanos já não tenham mais o que fazer. Criamos uma cultura de cronistas esportivos, e agora queremos ver como ela influenciou os nossos autores de ficção especulativa.

Resumo

Coletânea: “Futebol: histórias fantásticas de glória, paixão e vitórias”
Organizador: Marco Rigobelli
Conteúdo: O futebol deve ser o principal assunto. As histórias podem se passar antes, durante ou depois de partidas, podem envolver jogadores ou torcedores e todo gênero especulativo no qual o autos conseguir pensar. Ficção científica, fantasia, fantasia urbana e terror são só alguns dos universos que podem ser explorados com o futebol. Fanfics não são permitidos
Formato: Contos salvos em textos com formatações de itálicos e negritos já aplicadas
Tipo de arquivo: .RTF ou .DOC
Tamanho: No mínimo 15 mil toques, máximo 30 mil toques (com espaços)
Data de Recebimento: Até 15 de outubro de 2013
Endereço de envio: editoradraco arroba gmail.com com o assunto [FUTEBOL – NOME DO AUTOR]
Resultados: 26 de novembro de 2013
Lançamento: Primeiro semestre de 2014

0 Comments

  1. Lewd disse:

    Bolando um conto.
    Posso me utilizar de bordões consagrados de radialistas para descrever a emoção do gol?

  2. Marcelo disse:

    Os contos vencedores serão premiados com exemplares da coletânea além da publicação?

  3. Anderson Furtado disse:

    Se eu citar um apelido, como por exemplo, “Ali estava o Rei do Futebol” ou, “No ataque estava jogando o Fenômeno”, terei problemas?

    • Erick Santos Cardoso disse:

      Rei do Futebol podem ser várias pessoas (afinal me parece um conceito subjetivo), não é uma marca ou um time. Nesse caso, sem problemas!

  4. Anderson Furtado disse:

    Ok. Minha dúvida foi respondida e concordo com a politica de ler um conto de cada autor, para só depois ler um segundo conto de um mesmo autor. Bom trabalho a vocês e sucesso nesta nova empreitada.

  5. Anderson Furtado disse:

    Gostaria de saber se podemos mandar mais de um conto para analise. Sei que escolheram apenas um conto por autor (me corrija se eu estiver errado). Tenho algumas idéias do que escrever, mas sempre que começo digitar algo, outras idéias (melhores ou não) vão surgindo e sabe como é, nem sempre a ideia inicial fica boa.

    • Erick Santos Cardoso disse:

      Pode sim, mas para sermos justos com todos, um segundo conto só será lido depois que os outros autores forem avaliados. Senão há um dispêndio de energia muito grande com um autor, procuramos ser o mais justos possível. Abração!

  6. Felipe disse:

    Gostaria de saber se podem ser usados jogadores e times reais. Obrigado.

    • Erick Santos Cardoso disse:

      Olá, Felipe! Por conta de direitos autorais e para evitarmos possíveis processos por difamação ou uso indevido de imagem, estamos vetando nomes de times verdadeiros e personalidades reais do mundo do Futebol. Abraços!

      • Vinícius Lisboa disse:

        Olá. Não tenho o hábito de ler espaços de comentários, e só hoje voltei à página e vi essa resposta de vocês. Não havia nenhuma especificação sobre isso no regulamento, e acabei usando times reais. Concordo com essa política de evitar problemas, mas quero pedir que seja feita a seguinte avaliação: o nome do clube ou do atleta é fundamental para a história? No meu caso, não. Pode ser trocado sem prejuízos por um fictício. Se couber essa adaptação, acho que pode haver essa compreensão não apenas no meu caso. Abs

        • Erick Santos Cardoso disse:

          Com certeza, Vinícius, pode ficar tranquilo que, caso o conto seja aprovado, vamos trabalhar juntos para evitarmos quaisquer situações que possam sugerir violação de copyrights. Abraços!

  7. Adecio Chaves disse:

    Estava ansioso por essa coletânea, tenho um conto prontinho pra ela. A bola está rolando e desejo sorte para todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *