#ContosdoDragão: Fora da caixa, por Marcelo A. Galvão
setembro 23, 2013
#ContosdoDragão: Por dentro de Nordara, José Roberto Vieira
setembro 26, 2013

#ContosdoDragão: Sobre hipopótamos, interrogadores de fantasmas e sereias cantoras, por Roberta Spindler

Quando me perguntam sobre o que gosto de escrever, eu quase sempre respondo que não tenho um tema preferido ou uma única lista de personagens que me agradam. As ideias vão surgindo e acabam tomando forma por si só. A única coisa que permanece comum em todas elas é o elemento fantástico, disso não consigo fugir (e nem pretendo).

Com meus contos em e-book publicados pela Editora Draco não podia ser diferente. As histórias são variadas, abordando desde um romance impossível entre uma garota e um druida até um universo de alta fantasia onde os cavaleiros montam hipopótamos.

Amores Proibidos – Sangue de Chuchulainn, Roberta Spindler

Sangue de Cuchulainn – Foi um conto originalmente publicado na antologia Meu Amor é um Mito. É uma história de amor que tem como pano de fundo alguns elementos da mitologia celta. Foi meu primeiro conto na Editora Draco e tenho um baita orgulho dele.

Somnum, Roberta Spindler Somnum –  A história tem uma pegada meio alucinada, com referências a filmes, animes, séries, quadrinhos e outros livros. Tudo junto num mundo fantástico bem bizarro onde anjos são policiais corruptos, sereias cantam em bares movimentados e a ameaça do derretimento é constante para aqueles que não aceitam um trabalho. Sem dúvida é o conto mais maluco que já escrevi.

olhos_de_ceu

Olhos de Céu – Uma das histórias que mais gostei de escrever. Uma alta fantasia ambientada num universo que remete à África. A ideia veio depois de uma conversa sobre meu animal favorito. Garanto que vocês vão ver os hipopótamos de outro jeito depois de lerem esse conto.

naqueles_dias_escuros

Naqueles dias escuros – Conto inédito e novinho. Uma distopia, bem amarga e triste. Apesar disso, também é uma história de amor, com um pouco de esperança.

o_interrogador

O interrogador – Um dos primeiros contos que escrevi. Uma história curta que narra um dia de trabalho de um famoso interrogador de fantasmas e entidades sobrenaturais.

Gosto dessa possibilidade de contar histórias bem diferentes entre si, acredito que isso, além de se mostrar um sopro de novidade na minha rotina, enriquece minha escrita acima de tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *