Na Mesa do Editor – A Morte é Legal, Jim Anotsu
setembro 4, 2012
Draco Parceiros – Resultado do sorteio de Setembro
setembro 4, 2012

"Meu amor é um sobrevivente" – coletânea da série Amores Proibidos – guia para submissão de contos

O fim do mundo está chegando, é hora de começarmos a pensar nas histórias que farão a coletânea Meu amor é um Sobrevivente, o quarto volume da série Amores Proibidos — que já publicou os títulos Meu amor é um Vampiro, Anjo e Mito.

Começamos a abertura de recebimento de contos com uma notícia triste, mas é melhor que o Eric Novello himself conte:

Oi, folks. Como vocês estão?

Três anos se passaram desde que recebi o convite da Editora Draco para ajudar a pensar a coleção Amores Proibidos. Por ser um entusiasta da fantasia urbana e acompanhar também o fenômeno paranormal romance no mercado estrangeiro, o big boss Erick Santos achou que valia a pena trocarmos algumas ideias. Assim, depois de algumas reuniões virtuais e presenciais, passei a integrar a equipe e encarei o novo desafio.

O primeiro passo foi conhecer a Janaína Chervezan, também organizadora, e decidir qual seria o tema do primeiro livro. A ideia de usar os vampiros como um pontapé inicial foi irresistível, dada sua força no mercado e a representatividade de algumas autoras consagradas. Graças a ele, reunimos um time incrível e tivemos um dos lançamentos mais animados da editora. Com o sucesso da empreitada, pudemos apostar no volume 2, o Meu Amor é um Anjo.

Hoje em dia, eu e a Jana somos muito amigos, mas na época descobrimos que nem só vampiros voam nos pescoços alheios. Fica difícil dizer quem é mais chato e detalhista com o texto e as histórias, se eu ou ela. Vocês nem imaginam a arena de gladiadores que é selecionar esses contos! Mas o resultado vale a pena. E o pior (ou melhor) é que nós dois nos divertimos com isso.

É incrível pensar que lá no início teve gente dizendo que um homem não poderia ajudar a organizar um livro de autoras voltado para o público feminino. Que bom que os tempos mudaram. Com a confiança da Jana e do Erick, mostrei a minha valia. E fiz com o meu trabalho, como de hábito. Sem conversa mole.

Essa semana, a editora colocou no ar a pré-venda do Meu Amor é um Mito, terceiro volume da série. E é com ele que eu me despeço desse projeto maravilhoso que ainda dará muitos frutos.

Me despeço feliz por vários motivos. Um deles em especial: tive a chance de contribuir para que muitas autoras tivessem a sua 1ª publicação profissional. Sem falsa modéstia, me arrisco até a dizer que descobrimos alguns talentos promissores nesse projeto. E essa sempre foi uma das minhas metas na literatura. Ajudar a abrir as portas para novos nomes.

A partir de hoje, assumirei novos projetos na editora, que serão divulgados no devido momento. Quem assume o meu lugar nesse mundo de amores é a querida Ana Lúcia Merege.

Abaixo seguem algumas palavras da Ana e também o convite para o próximo volume da coleção Amores Proibidos. Boa sorte a ela e a Jana, e a todas as autoras que, ao longo dos anos, entrarão para essa família.

Beijo para quem é de beijo.
Abraço para quem é de abraço.
Aperto de mão para os indecisos.

Eric Novello

Temos certeza que a Ana Lúcia Merege será um ótimo par para a Janaina Chervezan na coleção. E portanto, vamos falar de sobrevivência, já que o fim do mundo está próximo!  Com a palavra, a Ana Merege:

 

Resident Evil 2

Oi, Pessoas!

Alguns de vocês já devem ter me visto por aqui. Meu nome é Ana Lúcia Merege, escrevo fantasia juvenil (mas não só) e sou autora da série iniciada por “O Castelo das Águias“, publicada pela Draco. Também sou organizadora, com o editor Erick Santos Cardoso, da antologia “Excalibur“, de contos arturianos. E, a partir de agora, estou assumindo a coorganização, partilhada com Janaína Chervezan, da Coleção Amores Proibidos.

Os primeiros volumes trouxeram histórias de amor entre seres humanos e outros sobrenaturais: vampiros, anjos e deuses. Desta vez, porém, daremos uma chance aos mortais: aproveitando as discussões em torno de um possível fim do mundo em 2012, o quarto volume da série será Meu Amor é um Sobrevivente.

É chegada a hora da desolação, das perdas, de uma mudança que afetará para sempre o modo como vivemos e levamos os nossos dias. Pode o amor florescer diante de tanta angústia e destruição? Um apocalipse zumbi. Um mundo sem água potável após uma guerra nuclear. Uma sociedade totalitária em que a violência é a única forma de seguir adiante. São muitos os terríveis cenários possíveis. É nesse contexto de sobrevivência extrema que abrimos oficialmente a chamada para a nova coletânea da série Amores Proibidos.

Procuraremos histórias fantásticas ou de ficção científica para Meu amor é um Sobrevivente. A ambientação é tão importante quanto o romance entre os personagens. Se os personagens não forem vítimas de mutações ou acometidos de terríveis doenças por conta de uma grave tragédia, a ênfase deverá estar no ambiente onde a história se desenrola.

Algumas obras da cultura pop que refletem o conceito, incluindo livros da Draco:

Os Reis do Rio, Terra Morta: Fuga, Resident Evil, Fallout, Half-life, Battle Royale, Metro 2033, Jogos Vorazes, Walking Dead, A Estrada, Eu sou a Lenda.

Tudo isso é válido, desde que haja uma história de amor envolvendo sobreviventes e que esta se destine a um público mais jovem. A escrita deve ser ágil e fluida (o que não quer dizer superficial), com temas como o sexo e a violência sendo tratados de forma cuidadosa.

Como no volume anterior, teremos uma autora convidada, que será Lídia Zuin, e oito vagas em aberto. E, como em todos os volumes, só aceitaremos textos escritos por mulheres.

Os contos devem ter entre 22.000 e 30.000 toques com espaços (cerca de 3.000 a 5.000 palavras). A história pode ser narrada em 1ª. ou 3ª. pessoa. Tudo salvo em .doc ou .rtf, já com aplicação de itálicos e negritos. Receberemos material até o dia 4 de março de 2013. Robôs estão programados para continuar a edição e seleção dos contos, assim os sobreviventes ao fim do mundo poderão usufruir da coletânea no Dia dos Namorados de 2013.

E-mail para envio: [email protected] com cópia para [email protected] O conto deve vir anexado, com o assunto [SOBREVIVENTE : Nome da autora]. Para facilitar nosso trabalho, pedimos que o nome da autora venha também no corpo do texto, logo abaixo do título. Coloque o seu nome e o nome do conto TAMBÉM no nome do arquivo.

Então, autoras, é isso. Mãos à obra. Quem for terminando o conto já pode enviar, quem ainda não começou tem tempo bastante para criar uma boa história. E, se tiverem alguma dúvida, não deixem de me procurar; estou à disposição através do e-mail anamerege arroba gmail.com.

Aguardamos sua participação!

The Walking Dead

Resumo

Coletânea: Meu amor é um sobrevivente

Organizadores: Ana Lúcia Merege e Janaina Chervezan

Conteúdo: Sobreviventes a catástrofes fantásticas ou que imaginem ambientes apocalípticos ou terríveis. Distopia é a palavra-chave.

Formato: Contos salvos em textos com formatações de itálicos e negritos já aplicados, .RTF ou .DOC

Tamanho: No mínimo 3000 palavras, máximo 5000 palavras. Ou se preferir, mínimo 22 mil toques com espaços, máximo 30 mil toques

Recebimento: 4 de março de 2013

Aonde enviar: editoradraco arroba gmail.com (cc janainachervezan arroba editoradraco.com) com o assunto [SOBREVIVENTE – NOME DA AUTORA]

Resultados: 1 de Maio de 2013

Lançamento: 12 de junho de 2013

Jogos Vorazes

0 Comments

  1. Francine disse:

    Ola, e então saiu o resultado?

  2. Bianca Sousa disse:

    Olá, vocês divulgaram uma lista dos seleciodas aqui no blog?

  3. João disse:

    Oi.
    Entendo que seja uma decisão da editora publicar apenas autoras nesta antologia, e não estou querendo burlar as regras, mas mesmo assim, acho um pouquinho injusto apenas mulheres poderem participar na antologia. E se um autor estivesse disposto a adotar um pseudônimo feminino. Ele poderia então participar, enviando o conto?

    • Erick Santos Cardoso disse:

      Infelizmente não, João. Pedimos sempre os documentos com fotos dos autores selecionados para fazermos os contratos. Um pouco mais acima nesse campo de comentários comentamos que é uma decisão estritamente editorial. Abraços!

  4. Lara disse:

    Olá, ^^
    Gostaria de saber se o amor além de ser romântico pode ser fantástico? Entre algum anjo e um humano, ou algum ser fantástico e um humano?

    • Erick Santos Cardoso disse:

      Fantástico, sem dúvida! Mas atenção às regras e preferivelmente evite personagens usados nos volumes anteriores: deuses mitológicos, anjos e vampiros.

      • Lara disse:

        Certo, mas as regras que vc fala, estão relacionadas as regras de conteúdo isso?

        (Conteúdo: Sobreviventes a catástrofes fantásticas ou que imaginem ambientes apocalípticos ou terríveis. Distopia é a palavra-chave.)

        • Erick Santos Cardoso disse:

          Não entendi a sua pergunta. 🙂 Deve ser uma história de amor em um ambiente distópico ou apocalíptico. Pode ser amor homossexual, pode ser um namorado zumbi, por exemplo, como aquele do filme que está em cartaz. Podem ser duas pessoas que não são monstros, zumbis nem nada, mas estão fugindo de um governo ditatorial, ou de um apocalipse zumbi, como no caso do Walking Dead.

  5. NikaSanc disse:

    Oi! Amn.. esse amor precisa ser, necessariamente, um namorado(a), marido, etc? Poderia ser um familiar ou amigo, ao invés de alguém com quem o personagem principal mantivesse uma relação conjugal?

  6. Mariana Bortoletti disse:

    Alguma restrição quanto a casais homossexuais?

    • Mariana Bortoletti disse:

      Outra pergunta, desconsiderando essa anterior porque eu já mudei de ideia: Existe alguma norma quanto à fonte e o tamanho do texto a ser enviado? Eu pretendia escrevê-lo em verdana 10, mas normalmente a norma é arial ou times 12… Alguma restrição quanto a isso? Obrigada.

  7. Patricia Loupee disse:

    Duvidazinha: apenas um conto por autora na versão final, certo? Mas posso enviar mais de um conto para submissão?

  8. Tatiana Jiménez Inda (@LeitoraViciada2) disse:

    Possuo uma dúvida: o cenário precisa ser necessariamente pós-apocalíptico, certo? Então não é qualquer distopia que se enquadra nesse item? Beijos.

  9. Bruno disse:

    também tinha me empolgado a participar, chega a ser descriminatório apenas mulheres terem o direito de participação do concurso, a literatura já é tão Elitista para colocarmos mais barreiras :/

    • Erick Santos Cardoso disse:

      Olá, Bruno!

      Não acredito que seja discriminatório, é simplesmente uma decisão editorial. Adoraríamos ver trabalhos seus, mesmo sendo uma história de amor nesses mesmos moldes, na coleção Imaginários, por exemplo, que é um de nossos maiores sucessos. Envie material para nós. 🙂

  10. Guilherme Matos disse:

    “E, como em todos os volumes, só aceitaremos textos escritos por mulheres.”

    Ridículo isso de apenas mulheres poderem participar. Qual é a ideia, afinal? Promover apenas as autoras por qualquer motivo injustificável? É mais fácil vender histórias de amor escritas por mulheres? Ou, a pior delas, homens não sabem escrever sobre amor tão bem quanto elas?

    Eu vi ontem a ideia da coletânea no site do leitor cabuloso (que não fala nada sobre homens não poderem participar) e me empolguei, pois adoro escrever e ser desafiado a ter ideias diferentes me motivou a participar. Ainda mais por parecer ser uma ideia boa de incentivo e descoberta de novos escritores, de ambos os sexos.

    Mas sermos impedidos de participar unicamente porque nascemos com um pênis é o tipo de coisa que joga esse projeto e seus idealizadores no ralo da literatura. Passar bem.

    Paz

    • Erick Santos Cardoso disse:

      Oi, Guilherme, não vemos nenhum problema de homens escreverem histórias de amor. Só gostaríamos de manter a visão editorial para essa coleção só de autoras femininas. 🙂 Abraços!

      • Guilherme Matos disse:

        Bem, primeiramente gostaria de me desculpar pelo meu comportamento grosseiro. Foi completamente desnecessário e espero que me perdoem.

        Mas gostaria que me explicassem por que, exatamente, gostariam de manter apenas a visão feminina para essa antologia?

        • Erick Santos Cardoso disse:

          Porque faz parte da visão original que tivemos lá em 2009. A ideia era reunir autoras para criar histórias de romance paranormal para jovens leitores. 🙂

          • Davi Paiva disse:

            E apesar da tradição que querem manter, se um homem escrever uma história ele não pode participar?

          • Erick Santos Cardoso disse:

            Isso mesmo, infelizmente homens não podem participar dessa coleção. 🙂 Mas nada impede de mandar uma história romântica fantástica para a Imaginários ou outras propostas. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *